Andréa Almeida

Guiada pela escolha sutil das palavras e apaixonada pelo fazer audiovisual, a comunicóloga, jornalista e produtora cultural Andréa Almeida escolheu a Comunicação Social por entender a importância da troca, da interatividade, da democratização da informação, da valorização das culturas tradicionais, através da contação de histórias em suas mais diversas linguagens, como um potente instrumento de transformação e fortalecimento coletivo.

 

Feminista, antirracista, nordestina, defensora das mais plurais formas de amor, acredita em uma comunicação não-violenta, onde alarga a escuta e estreita laços afetivos.

Há quase dez anos ininterruptos atuando no mercado de Comunicação, Andréa Almeida já ocupou profissionalmente espaços de destaque no jornalismo, a exemplo do Jornal do Commercio e do portal NE10, como repórter, Assembleia Legislativa do Estado de Pernambuco, como assessora parlamentar, e agências de comunicação onde teve a oportunidade de atender a clientes dos mais variados setores (cultura, economia, esportes, cidades, política). A jornalista tem larga experiência em assessoria de imprensa e produção de conteúdo para sites, jornais, redes sociais, projetos culturais, roteiros, entre outras linguagens.

Alimentando-se dos mais potentes formatos de arte e, assim, alargando as infinitas possibilidades criativas de ser, de existir e de resistir, agregando tudo isso ao universo da Comunicação falada, escrita ou visual, Andréa Almeida fez o Curso de Iluminação Cênica para Mulheres – Empoderamentos dos Termos Técnicos na Prática Artística, no Museu de Arte Moderna Aloisio Magalhães (MAMAM).

Também fez o curso de Cinema Documentário pelo Portal de Artes, adentrando ainda mais no fazer audiovisual que sempre esteve presente em sua trajetória, desde os primeiros trabalhos na universidade.

A transformação social e o empoderamento coletivo, com afetividade, sempre foi o que pulsou e instigou Andréa a trilhar por esses caminhos. É essa energia que faz com que a jornalista participe de projetos sociais e voluntários, a exemplo do Luíla e Pretinha Cineclube, coletivo o qual é facilitadora na periferia de Apipucos, zona norte do Recife. O projeto social tem como objetivo despertar o senso crítico e afetivo dos moradores e das moradoras a partir da exibição de obras de audiovisual e reflexões em rodas de diálogos, entre outras atividades. Nesse projeto, Andréa Almeida é responsável pela produção de conteúdo, divulgação nos veículos de comunicação, curadoria dos filmes e produções das sessões do cineclube, além de ser a facilitadora do Grupo de Trabalho (GT) da Memória de Apipucos, o qual já experimentou a produção, filmagem e edição de curtas-metragens que dão voz a moradoras da comunidade e podem ser acessados no Youtube do coletivo (Luíla e Pretinha Cineclube).

É por esses lugares que Andréa Almeida tem caminhado, nunca sozinha e sempre bem acompanhada. Acredita na potência do afeto, nas forças da natureza, nos astros, nas cartas, na ancestralidade e no poder das mulheres que correm com os lobos (leiam o livro). Está sempre aberta a novas possibilidades, conhecimentos e experiências, sempre com responsabilidade afetiva, respeito e honestidade. Será um prazer trabalharmos juntas!

© 2020

  (81) 98254-3480

Rua Dr. Silva Ferreira, 80, Santo Amaro - Recife